sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

CORAGEM SEMPRE!

Você se considera uma pessoa de coragem? E, se tem coragem, também tem força o bastante para suportar os desafios da caminhada? Em muitas ocasiões da vida, não sabemos avaliar o que realmente necessitamos: se de força ou de coragem. E há momentos em que precisamos das duas virtudes conjugadas. Há situações que nos exigem muita força, mas há horas em que a coragem se faz mais necessária. Eis aqui alguns exemplos: É preciso ter força para ser firme, mas é preciso coragem para ser gentil. É preciso ter força para se defender, mas é preciso coragem para não revidar. É preciso ter força para ganhar uma guerra, mas é preciso coragem para se render. É preciso ter força para estar certo, mas é preciso coragem para admitir a dúvida ou o erro. É preciso ter força para manter-se em forma, mas é preciso coragem para ficar de pé. É preciso ter força para sentir a dor de um amigo, mas é preciso coragem para sentir as próprias dores. É preciso ter força para esconder os próprios males, mas é preciso coragem para demonstrá-los. É preciso ter força para suportar o abuso, mas é preciso coragem para faze-lo parar. É preciso ter força para fazer tudo sozinho, mas é preciso coragem para pedir apoio. É preciso força para enfrentar os desafios que a vida oferece, mas é preciso coragem para admitir as próprias fraquezas. É preciso força para buscar o conhecimento, mas é preciso coragem para reconhecer a própria ignorância. É preciso força para lutar contra a desonestidade, mas é preciso coragem para resistir às suas investidas. É preciso força para enfrentar as tentações, e é preciso coragem para não cair nas suas armadilhas. É preciso ter força para gritar contra a injustiça, mas é preciso muita coragem para ser justo. É preciso força para pregar a verdade, mas é preciso coragem para ser verdadeiro. É preciso força para levantar a bandeira da paz, mas é preciso coragem para construí-la na própria intimidade. É preciso ter força para falar, mas é preciso coragem para se calar. É preciso força para lutar contra a insensatez, mas é preciso coragem para ser sensato. É preciso ter força para defender os bens materiais, mas é preciso coragem para preservar o patrimônio moral. É preciso ter força para amar, mas é preciso coragem para ser amado. É preciso ter força para sobreviver, mas é preciso coragem para aprender a viver. Enfim, é preciso ter muita força para enfrentar as batalhas do dia-a-dia, mas é preciso muita coragem moral, para vencer-se a si mesmo. Força e coragem: duas virtudes com as quais podemos conquistar grandes vitórias. E a maior delas é a vitória sobre as próprias imperfeições. *** A coragem de vencer-se antes que pretender vencer o próximo, de desculpar antes que esperar ser desculpado e de amar apesar das decepções e desencantos, revela o verdadeiro cristão, o legítimo homem de valor. Por essa razão a coragem é calma, segura, fonte geradora de equilíbrio que alimenta a vida e eleva o ser aos altos cumes da glória e da felicidade total.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Melhore seu Bairro

Ideias para melhorar seu bairro em 2011

1. Aproveite seu bairro e sua cidade. Viver em uma comunidade tem a vantagem de proporcionar acesso a recursos e serviços que seriam impossíveis de se obter em uma casa isolada ou bairro afastado. Conheça as atividades que seu bairro ou cidade oferece e comece a aproveitá-las. Conhecer e apreciar o lugar onde se vive é o primeiro passo para transformá-lo.
2. Compre localmente. Quando deixamos nosso dinheiro em mercadinhos, sacolões, padarias e outros comércios do bairro, em vez de transferi-lo às grandes corporações donas de supermercados, contribuímos para melhorar a vida de nossos vizinhos e damos apoio a estas pequenas lojas, que sempre nos tiram de apuros. Este ano, proponha-se a obter de seu bairro a maior quantidade de produtos e serviços possível.
3. Conheça seus vizinhos. Em cidades menores, ainda resiste o costume de conhecer e ajudar os vizinhos, mas nas grandes cidades, muitas vezes impera o isolamento entre as pessoas. É claro que não sugerimos que você toque a campainha e se apresente a cada um de seus vizinhos, mas pode começar a cumprimentar os que encontra pela rua e entabular conversas, comentando ideias ou preocupações sobre o bairro. A construção de vínculos permite que possam se ajudar mutuamente.
4. Envolva-se com associações e espaços locais. Igrejas, escolas, clubes, centros culturais: estes espaços muitas vezes reúnem pessoas envolvidas no desenvolvimento do bairro, que podem ser grandes aliadas na realização de projetos. Estabeleça contato com as associações de seu bairro e descubra como pode participar.
5. Aumente a participação destas instituições em ações locais. Se você já integra uma associação de bairro, discuta o que fazer para melhorar o entorno. Por exemplo, sugira a uma escola plantar uma horta ou consertar os bancos de uma praça.
6. Embeleze o bairro. Seja sozinho, com um grupo de vizinhos ou em uma instituição, procure embelezar alguma parte do bairro onde vive. Pode ser pintar uma parede que esteja muito suja, plantar canteiros ou simplesmente fazer um controle para que sua quadra fique sempre limpa e sem lixo.
7. Informe sobre as irregularidades. Se em seu bairro existe alguma estrutura perigosa, os brinquedos de uma praça precisam de manutenção ou você notar qualquer outra regularidade, informe a subprefeitura. Muitas vezes, as queixas demoram para ser atendidas, mas às vezes, os consertos acabam sendo realizados em menos tempo do que você espera.
8. Contate as autoridades locais. Uma forma de se envolver mais profundamente com o desenvolvimento de seu bairro é relacionar-se com as autoridades locais. A participação cidadã em associações de bairro junto às subprefeituras é uma ótima saída.

domingo, 16 de janeiro de 2011

A miséria Humana

O homem é habitualmente apontado como o rei da Criação. Ele sobrepuja o restante dos habitantes do planeta. Animais muito fortes e perigosos são domados e vencidos pelo engenho humano. Inteligente e dotado de múltiplos talentos, o homem moderno constitui o ápice de uma longa jornada evolutiva. Uma retrospectiva histórica revela o quanto a raça humana se aprimorou no curso dos séculos. Doenças que no passado dizimaram populações inteiras, hoje não mais assustam. Meios relativamente modernos de comunicação, como Rádio, TV e Internet, revolucionam os costumes. Mas os recursos da modernidade são freqüentemente mal utilizados. Na TV, preponderam programas com conteúdo vulgar e sensacionalista. A violência e a sexualidade desregrada são endeusadas em filmes e novelas. São freqüentes as notícias sobre corrupção e crueldades. A rigor, permanece angustiante o estágio moral da Humanidade. As enfermidades e as dores são inerentes à vida material. Todo corpo humano mais cedo ou mais tarde se desgasta e se extingue. A ciência avança e torna menos atrozes as dores, mas não logrará converter em imortal nenhum organismo material. É compreensível a tristeza que suscita a morte de alguém querido. Mas isso está de acordo com as leis da natureza e em geral não causa escândalo. O que realmente gera tristeza são as crueldades e baixezas que os seres humanos freqüentemente se permitem. Quem poderá aquilatar a desolação de um pai ao saber que seu filho tornou-se criminoso? Assim, embora a evolução intelectual e científica dos últimos tempos, a Humanidade continua miserável em muitos aspectos. A genuína nobreza é bastante rara. Bondade, generosidade e pureza são características bem pouco usuais. A ampla maioria dos homens chafurda em vícios e paixões. Preocupados com seus gozos e interesses, pouco se importam com os estragos que causam na vida do próximo. Não falta quem afirme que a raça humana desmente a bondade de Deus. Se Deus é infinitamente bondoso, tudo pode e sabe, por que fez o homem tão miserável, sob o prisma moral? Contudo, é preciso ter em mente que a Humanidade toda não se acha representada na Terra. Não é possível aferir o caráter de um povo a partir da população de uma penitenciária. A análise da saúde de uma comunidade também não pode ser aquilatada a partir dos internados em um hospital. Quem fizesse tal análise, concluiria que todos os habitantes do país são doentes ou criminosos. O mesmo ocorre quando se toma por padrão a conduta dos habitantes da Terra em relação à totalidade da Criação. Os Espíritos ensinam serem infinitos os mundos habitados. A Terra é dos mundos menos evoluídos e por isso constitui morada de seres moralmente atrasados. Ela funciona à semelhança de um hospital e de um presídio e abriga Espíritos rebeldes e viciosos. Os seres altamente moralizados que, por vezes, aqui aportam estão em missão, à semelhança de médicos em um hospital. Quem consegue libertar-se de vícios e paixões e se acerta com as Leis Divinas segue para mundos de paz e regeneração. Saiba que está em suas mãos conquistar sua libertação. Dedique-se a domar seu egoísmo e suas paixões. Experimente a ventura de agir com honestidade, pureza e bondade e incorpore esse modo de vida em seu caráter. A Justiça Divina é infalível e logo o conduzirá a locais compatíveis com a sua realidade íntima. Então, você mudará de idéia a respeito da miséria humana. Compreenderá que ela é como uma enfermidade. Causa algumas dores, mas passa, quando corajosamente combatida.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011